Minês Castanheira: “O primeiro capítulo para um livro sobre a minha vida? A minha vida é muito melhor do que um livro”

Os livros. O mundo das editoras e livrarias. O pragmatismo no desejo de conciliar a criação de cultura com um devido reconhecimento e financiamento. Memórias indeléveis através de momentos literários. A forte ligação a Manuel António Pina. O signo “casa” como principal motor de alguns poemas. São apenas alguns exemplos de temáticas que poderá encontrar nesta entrevista.

João Habitualmente: “Quando desaparecermos, desaparece um grão de areia no cosmos e não se passa absolutamente nada, passado um tempo começam a nascer flores outra vez”

A necessidade de estar em comunhão com a natureza para que flua uma criatividade mais humilde. A importância de persistir com a arte, mesmo em tempos de cólera global. O ser-se professor comunicativo-afectivo e não apenas teórico. As inspirações. As crenças. Os humores. Tudo isto apenas uma pequena parte do que foi partilhado nesta entrevista pelo poeta.